Show de Dilsinho em Ouro Preto é cancelado após polêmica e cantor se manifesta

Decisão judicial interrompe gravação do evento, gerando frustração para o cantor, seus fãs e para os comerciantes locais. O cantor se manifestou na íntegra, o Agito Mais procurou a Prefeitura de Ouro Preto e até o presente momento sem uma resposta.

Por Redação Agito Mais

A assessoria jurídica de Dilsinho afirmou que nem o cantor nem seus empresários foram oficialmente intimados da decisão judicial. Imagem meramente ilustrativa.
A assessoria jurídica de Dilsinho afirmou que nem o cantor nem seus empresários foram oficialmente intimados da decisão judicial. Foto = reprodução internet.
COMPARTLHE:
WhatsApp

Ouro Preto Mg = Uma polêmica envolvendo a realização do aguardado show “Diferentão 2” do cantor Dilsinho, em Ouro Preto, ganha destaque nacional após uma decisão da Justiça Federal determinar a suspensão do evento, marcado para hoje, domingo (10). A situação desencadeou uma série de reações, incluindo a manifestação do cantor, comerciantes e a revolta dos fãs que planejavam comparecer ao espetáculo. A Prefeitura de Ouro Preto, mesmo após a decisão judicial, insistiu em manter o show, mas sem êxito e até o presente momento sem se manifestar.

O Agito Mais procurou a prefeitura e aguarda um posicionamento, mas segue sem respostas.

A Justiça Federal de Minas Gerais ordenou, no sábado (9), o desmonte da estrutura montada na Praça Tiradentes. A ação envolveu a mobilização da Polícia Federal e da Polícia Militar para cumprir a decisão judicial.

O cantor se manifestou em suas redes sociais, demonstrando tristeza em relação ao ocorrido. Segundo Dilsinho, a ideia de realizar o show em Ouro Preto surgiu após um show realizado na cidade em julho, durante as comemorações do aniversário da cidade. A energia do público e o carinho recebido o inspiraram a querer registrar um novo encontro com os fãs na cidade histórica.

Após investigações e contatos com a Prefeitura de Ouro Preto, ficou acertado que o evento ocorreria no dia 10 de setembro, durante a semana da Independência, uma data importante para a cidade e para a história do Brasil. Dilsinho e sua equipe iniciaram os preparativos para o show, mobilizando profissionais e parceiros locais.

A organização garante que todos os trâmites burocráticos, documentações e autorizações necessárias foram devidamente cumpridos, incluindo as normas legais da cidade e as recomendações das autoridades locais. A montagem da estrutura do palco só começou após a aprovação da Prefeitura.

No entanto, a polêmica teve início quando Ministério Público Federal e Ministério Público de Minas Gerais recomendaram a suspensão do evento, alegando que a organização não possuía autorização do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) para a realização do show.

A Justiça Federal emitiu a decisão que levou à suspensão do evento, destacando a ausência de um Projeto de Prevenção e Combate a Incêndio e Pânico (PPCIP) no local, ocorrências recentes de curto-circuito durante festividades e a falta de autorização do Iphan.

O juiz João Batista Ribeiro também alertou para o risco de incêndio na Praça Tiradentes, local escolhido para o show, que é um marco histórico importante para a cultura nacional. A decisão judicial impôs uma multa de R$ 1 milhão em caso de descumprimento, além da possibilidade de responsabilização por crime de desobediência e outros crimes ambientais.

A assessoria jurídica de Dilsinho afirmou que nem o cantor nem seus empresários foram oficialmente intimados da decisão judicial e que a produção seguiu todas as orientações legais da Prefeitura Municipal de Ouro Preto. Eles expressaram a intenção de cumprir quaisquer exigências necessárias para que a apresentação artística possa ocorrer no futuro.

A polêmica em torno da suspensão do show de Dilsinho em Ouro Preto continua a gerar debate sobre a preservação do patrimônio histórico e a realização de eventos culturais na cidade.

3 respostas

  1. Achei estranho pois a praça Tiradentes tem diversos Shows de aniversário da cidade, não vi muita coerência na decisão. Mas decisão da justiça tem que ser cumprida, .as que ficou estranho ficou. Os interesses sempre estarão acima do nosso nível de conhecimento…

    1. Não queira comparar o tanto de gente que dá num show do Dilsinho com o público mais ou menos que vai nos festivais da cidade. O artista que está se apresentando faz toda a diferença, vê um show da Elba Ramalho na praça Tiradentes por exemplo…

  2. Um Patrimônio Histórico Mundial, precisa ser preservado. Pouco se investe em manutenção e por isso é preciso evitar colocar em risco as construções ao entorno da praça. Grandes eventos exigem equipamentos pesados que abalam as estruturas dessas construções. O mesmo acontece em Mariana. A praça Gomes Freire tem o único jardim público, e os canteiros estão horríveis por causa do lixo jogado nos fins de semana e durante os eventos, também são pisoteados e as construções ao entorno, apresentam rachaduras. Por onde anda o IPHAN?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *