Postos de combustível em Itabirito e Minas Gerais são multados por irregularidades

Por Redação Agito Mais

Fiscalização ocorreu em 15 municípios mineiros entre os dias 15 e 18 de janeiro.
Fiscalização ocorreu em 15 municípios mineiros entre os dias 15 e 18 de janeiro. Foto = reprodução autobitts.
COMPARTLHE:
WhatsApp

A Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) realizou uma operação de fiscalização do mercado de combustíveis em 11 estados brasileiros entre os dias 15 e 18 de janeiro de 2024, entre eles, incluindo postos da cidade de Itabirito, na Região Central de Minas Gerais. Os postos do município  foram autuados por situações como: não possuir instrumentos obrigatórios para realização de teste de qualidade e medida-padrão (equipamento utilizado no teste de volume, que pode ser exigido pelo consumidor); comercializar combustível em recipiente não certificado pelo Inmetro; e armazenamento de combustível fora de tanque subterrâneo.

A ação teve como objetivo verificar a qualidade dos produtos, o volume fornecido pelas bombas, a adequação dos equipamentos e dos documentos das empresas.

Em Minas Gerais, foram fiscalizados 41 estabelecimentos, entre postos revendedores de combustíveis e revendas de gás de cozinha (GLP). Desses, seis foram autuados e um foi interditado por diversas infrações, como:

  • Não possuir instrumentos obrigatórios para realização de teste de qualidade e medida-padrão;
  • Comercializar combustível em recipiente não certificado pelo Inmetro;
  • Armazenar combustível fora de tanque subterrâneo;
  • Apresentar termodensímetro com defeito;
  • Exibir placa de preços em desacordo com a legislação;
  • Não informar corretamente a origem do combustível na bomba.

Os municípios mineiros fiscalizados foram: Brumadinho, Cachoeira da Prata, Capim Branco, Florestal, Fortuna de Minas, Funilândia, Inhaúma, Itabirito, Juatuba, Mateus Leme, Matozinhos, Pará de Minas, Prudente de Morais, Sete Lagoas e Uberlândia.

A ANP também realizou ações conjuntas com outros órgãos públicos em diversos estados, como a Polícia Civil de São Paulo. A Agência informou que as irregularidades encontradas podem resultar em multas que variam de R$ 5 mil a R$ 5 milhões, além de outras sanções administrativas.

2 respostas

  1. Kkkkkkk só isso? Tem de invstigar é as adulterações e o roubo no preço pois o combustível sai da refinaria e chega em Ouro Preto com o mesmo preço, e pq em Itabirito quebé mais perto da refinaria os preços são altos? Cartel desgraçado ladrões que amam o povo bôbo que insistem em abastecer em Itabirito. Simples assim

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *