Sábado, 28 de Maio de 2022
21°

Poucas nuvens

Itabirito - MG

Cultura Artigo de opinião

O relógio de São Gonçalo do Bação marca outra contagem de tempo - Coluna Lugares & Costumes

Augusto Baiâo

03/05/2022 às 17h31 Atualizada em 03/05/2022 às 21h35
Por: Jornalismo AgitoMais
Compartilhe:
Em blemático relógio da Igreja de São Gonçalo do Bação. (Foto: Augusto Baião)
Em blemático relógio da Igreja de São Gonçalo do Bação. (Foto: Augusto Baião)

Em São Gonçalo do Bação, distrito de Itabirito, existe um relógio que há muitos anos já vem marcando a história do povo itabiritense. Sim, existe! Não sabia?

Esse relógio não se parece em nada com o relógio moderno instalado na praça da Estação de Itabirito para contar a chegada do centenário da cidade.

Trata-se do relógio de madeira que compõe o sino da Igreja de São Gonçalo do Bação, construído por José Vitor Gomes, ilustre filho da terra! Este é um dos poucos relógios do tipo no Brasil e está precisando de cuidados!

José Vitor, nascido no ano de 1894, era um gênio que se desdobrava em atividades como pedreiro, escultor, pintor, músico, escritor, inventor, entre outras. Embora existam relatos de sua baixa escolaridade, José Vitor atraía diversas personalidades e políticos interessados em observar e aprender com a sua genialidade.

"relógio de pau", um dos poucos no Brasil.
(Foto: Augusto Baião)

O colunista do Jornal A Gazeta, José Guimarães da Silva (Zequinha), em 1976, dissertou sobre a imponência do "relógio de pau":

"De cordas, de pedras, de latas, que marcava as horas na igreja local. Por muitos foi admirado, comentado, discutido, criticado. Mas o fato é que o relógio lá estava, no alto da torre, alheio aos comentários que eram dirigidos. A marcar os minutos e as horas, ininterruptamente, dia e noite, alheio a tudo, em seu mister de servir ao lugarejo. E como servia!"

João Vitor Gomes,
Itabiritense
responsável pela
bela obra
do relógio da
Igreja
de São Gonçalo
do Bação.
(Foto: Augusto Baião)

Itabirito, polo minerador, mas antes, polo de riquezas naturais e culturais, é um convite irresistível à todos. Todos precisam conhecer essa riqueza! Precisamos ter ainda o que preservar e mostrar. São Gonçalo do Bação tem o mesmo potencial turístico de lugares vizinhos como Lavras Novas, por exemplo. Mas Itabirito parece caminhar para que histórias e patrimônios, como esse relógio da torre da igreja, sejam esquecidos em detrimento de ações exploratórias de seu território.

No último dia 29 de abril, a maioria dos conselheiros do CONPATRI (Conselho Consultivo e Deliberativo do Patrimônio Cultural e Natural de Itabirito), votou a favor da instalação de uma empresa mineradora no distrito, o que causou grande indignação à comunidade, além de trazer à tona a incerteza sobre as decisões acerca da preservação ambiental e histórica dessa joia da região dos Inconfidentes, que agora pode estar ameaçada.

Existem poucos exemplares de relógios de madeira como o do Bação no Brasil. Alguns historiadores pesquisam a possível relação entre a técnica de José Vitor com os relógios feitos no nordeste pela escola de ofícios comandada pelo Padre Cícero, que visava acabar com a dependência da importação de relógios e outros bens de outros países.

Os relógios estão todos a contar a passagem dos dias. Uns fazem contagem regressiva, outros contagem crescente. Cada qual tem a sua intenção. Mas não podemos deixar a pressa de uma evolução ilusória e finita se sobrepor a contagem de tantas histórias que compõem a memória coletiva do itabiritense.

O tempo realmente não para. O tempo, esse conceito relativo, é implacável e sempre revela suas consequências.

José Vitor Gomes faleceu no ano de 1969 e o prefeito da época, José Bastos Bittencourt, prestou-lhe justa homenagem denominando a escola de Teixeiras, localidade próxima à São Gonçalo do Bação, de "Escola Municipal José Vitor Gomes".

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Augusto Baião
Augusto Baião
Sobre Filho de pai mineiro e mãe baiana, Augusto Baião é servidor público concursado da Prefeitura Municipal de Itabirito, formado em Comunicação Social pela Universidade Católica de Salvador, estudante do Curso Técnico em Conservação e Restauro pela Fundação de Arte de Ouro Preto e também multiartista.
Itabirito - MG Atualizado às 13h05 - Fonte: ClimaTempo
21°
Poucas nuvens

Mín. Máx. 23°

Dom 24°C 12°C
Seg 25°C 13°C
Ter 27°C 14°C
Qua 27°C 14°C
Qui 26°C 15°C
Horóscopo
Áries
Touro
Gêmeos
Câncer
Leão
Virgem
Libra
Escorpião
Sagitário
Capricórnio
Aquário
Peixes
Enquete