Sábado, 28 de Maio de 2022
21°

Poucas nuvens

Itabirito - MG

Educação Minas Gerais

Servidores da educação estadual entram em greve por tempo indeterminado

Decisão vale a partir de hoje. Rede municipal, em BH, poderá aderir a partir do dia 16

09/03/2022 às 08h30
Por: Jornalismo AgitoMais
Compartilhe:
Manifestação dos servidores da educação do estado na tarde de ontem. (Foto: Sind-UTE/Divulgação)
Manifestação dos servidores da educação do estado na tarde de ontem. (Foto: Sind-UTE/Divulgação)

Foi anunciado, na tarde de ontem (8), a paralisação dos servidores da educação estadual em MG.

A decisão foi aprovada por unanimidade em assembleia realizada em frente à ALMG (Assembleia Legislativa de Minas Gerais).

A principal reivindicação da categoria é o cumprimento do piso salarial nacional em Minas.

Segundo a coordenadoria geral do Sind-UTE, a proposta do governador Romeu Zema, de recomposição salarial de 10,06% com pagamento retroativo a janeiro, está longe do aceitável.

No início de fevereiro, o presidente Jair Bolsonaro (PL) assinou a portaria que aumenta o piso salarial em 33,24%. Sendo assim, o valor em 2022 chega a R$3.845,63, para jornada de 40 horas. Em Minas Gerais, o salário para os professores da rede estadual é cerca de 80% abaixo do piso nacional (R$2.135,64).

Além disso, os profissionais da categoria também se manifestaram contra ao projeto que autoriza a adesão do estado ao Regime de Recuperação Fiscal (RPF).

Após a proposta entrar em pauta no legislativo, o governador Romeu Zema (Novo) entrou com uma ação no STF para obrigar a Assembleia a colocar o projeto em votação.

A adesão foi de cerca de 75% dos servidores de educação na capital.

No próximo dia 16, haverá nova assembleia e está previsto o "Dia Nacional da Paralisação com Conselho Geral"

Ainda não há informações se servidores de outras cidades, além da capital mineira, aderiram à paralisação.

Adesão dos servidores da rede municipal de ensino na capital

Também em assembleia na tarde de ontem (8), na Praça da Estação (BH), os servidores da rede municipal da capital decidiram aderir a greve, também por tempo indeterminado, a partir do próximo dia 16.

A categoria reivindica reajuste de 33,34% do piso nacional.

A proposta da Prefeitura de BH FOI DE 11,7%.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.